Este blog mudou de endereço e agora está em http://tertuliabenfiquista.blogs.sapo.pt.

sexta-feira, abril 13, 2007
Uma noite perfeitamente normal *

Facto: Fomos eliminados da Taça UEFA.

Pormenor: “Fomos” e não “foram”, como alguns benfiquistas de formação instantânea costumam dizer quando os resultados não correspondem aos seus anseios.

Nestes momentos existe a tendência, muito útil pois facilita imenso as análises que se fazem, de se procurar culpados individuais ou únicos ao invés de olhar para a “Big Picture”. Assim, ontem a culpa não irá certamente morrer solteira, mas também não há-de falecer simplesmente acompanhada por Fernando Santos, Nuno Gomes ou pelo azar, por exemplo.

Há, no entanto, aqui um binómio que pode ser interessante realçar e que implica duas das três entidades supracitadas. Esqueçamos, então, por agora o Nuno Gomes, e foquemo-nos no Fernando Santos e no Azar.

Provou-se novamente que o treinador que lá temos parece ter um qualquer pacto com a infelicidade (ao jogo, pelo menos), não dá hipótese, o homem puxa todos os deuses da má fortuna para si e, portanto, nem sequer a sorte ajuda a esconder as péssimas opções que, jogo após jogo, continuam a pôr a nu todas as suas imensas fragilidades como treinador de futebol. Destaco o momento das substituições: na televisão provavelmente não deu para reparar, mas no estádio foi visível a olho nu (toda esta nudez já me está a deixar ligeiramente excitado) que os jogadores entraram perdidos e os que já lá estavam dentro, se perdidos não estavam, perdidos ficaram. Ele era o Rui Costa a perguntar ao Katsouranis para onde deveria ir, o Mantorras a dizer ao Miccoli onde se devia posicionar e, o mais sintomático de tudo, é que, a partir das alterações, o Benfica não voltou a criar perigo. Nesta altura há perguntas que permanecem por responder, nomeadamente no que respeita ao posicionamento que os jogadores substituídos foram ocupar em campo, já que se me afigura de difícil compreensão os motivos que levaram o Derlei a ocupar a faixa direita, o Katsouranis a colocar-se numa posição meio híbrida de defesa lateral direito/médio-defensivo, quando naqueles últimos 10/15 minutos o Benfica precisava de marcar um golo, isto se queria passar a eliminatória.

O mais natural teria sido colocar os jogadores mais fortes fisicamente e que joguem melhor de cabeça à entrada da área, ou pelo menos nas imediações desta para acorrerem ao chuveirinho de que se revestiu, basicamente, o nosso jogo a partir do momento em que o Fernando Santos começou a mexer na equipa, pouco interessando para o caso se acabássemos o jogo com o David Luiz como ponta de lança ou o Miccoli como defesa lateral direito. Sempre se ouviu dizer que para alturas extremas, há que tomar medidas extremas. E ontem era um desses casos, penso, portanto, que faltou fazer algum trabalho de casa, pois a equipa e, particularmente, o seu (nosso) treinador deveria ter um plano b (já nem peço um plano c ou d ou e, porque isso implicava um treinador excepcional e eu, neste momento, contentar-me-ia com um treinador razoável) para utilizar no caso de se chegar à última meia hora com a eliminatória em aberto e com a balança perfeitamente equilibrada, com vista ao fecho da primeira e ao desequilíbrio da segunda.

Como prometi a mim mesmo não canalizar o ónus da responsabilidade todo numa só personagem, tenho de dizer, a bem da verdade, que a condição física dos jogadores em geral, e de alguns casos em particular, é péssima, e também ajuda a explicar algumas coisas, mas ao fim e ao cabo acabamos por ser mandados para fora da UEFA por uma equipa espanhola para lá de mediana; e temo, mas temo mesmo bastante, que também o campeonato seja neste momento apenas uma miragem. Infelizmente, para ele, o nosso treinador não se pode eximir a parte da responsabilidade da parca condição física apresentada (será apenas física ou também psicológica? Talvez um pouco despropositadamente lembrei-me da frase “Mente sã em corpo são”), pois cumpriu a ele a escolha do preparador físico; além de que se o plantel é constituído por mais de uma vintena de jogadores, seria perfeitamente normal e sinceramente mais compreensível que a equipa perdesse ou deixasse de ganhar um ou outro jogo “menor” por ter havido alguma rotação na equipa para poupar os jogadores mais importantes e mais desgastados para embates como o… de ontem. Como todos sabemos, não tem sido esse o entendimento do treinador e, pelo que me é dado a perceber pela recolha de opiniões várias e pela antecipação do futuro próximo, a situação será debelada para o ano com a feitura do plantel a ser maioritariamente da responsabilidade do Fernando Santos. Acreditar ou não nesta explicação depende de cada um e não será pretensão deste que vos escreve encaminhar o pensamento dos benfiquistas para aqui (sucesso) ou para ali (fracasso).

José Veiga e a sua ausência são outra das minhas preocupações actuais (imediatamente antes do pagar das contas da água, da luz e do gás, lá em casa). Não foi a presença do ex-empresário no balneário da equipa, ou nas suas imediações, sempre considerada pelo nosso Presidente como extremamente importante e definidora do que se pretendia para a gestão do futebol do Benfica? Se assim era, porque é que à demissão (?) do Veiga não se seguiu a sua substituição? Se se pensava que o Presidente poderia tomar como seus os problemas inerentes à gestão directa da equipa profissional de futebol penso que se incorreu num erro de apreciação do que é actualmente a gestão do Universo Benfica, e também se menosprezou a exigência do futebol profissional nos dias que correm; além de que, se a natural ausência do Luís Filipe Vieira teria como contrapartida o aumento de competências do treinador (sempre ele), à expressão “erro de apreciação” terei de acrescentar a palavra “crasso”.

Um último pormenor, nada mais do que isso, para ilustrar parte da minha noite de ontem, e que culminou com vários socos e um pontapé (que não de trivela) na cadeira mais próxima na ocasião, e reporta-se ao lance que ajuda a ilustrar a diferença entre jogadores que dão campeonatos e/ou eliminatórias e, desse modo, ajudam a esconder as incapacidades da equipa que representam, e os outros:

Trata-se da jogada em que o Rui Costa, sempre ele, ganhou espaço na área dos espanhóis e fez um cruzamento/remate que viria a encontrar, completamente desmarcados, 2 (dois!) jogadores do Benfica a cerca de 1 metro da baliza:

Terei sido dos poucos no Estádio que não viu o Nuno Gomes falhar esse lance. Não vi, simplesmente porque continuo a ser ingénuo (ia escrever “estúpido”) o suficiente para não imaginar que aquele lance não iria dar golo pelo motivo de não entrar na baliza (condição primeira para um golo ser marcado), mas sim porque o fiscal de linha o iria anular por um suposto fora-de-jogo. Então quando a bola saiu rematada pelo Rui Costa e eu me apercebi (eu e o Estádio) que iria encontrar completamente desmarcados dois jogadores do Benfica ao segundo poste, quando o guarda-redes estava a cobrir o primeiro, a não entrada da bola na baliza nem sequer me passou pela cabeça, pelo que a minha reacção instantânea foi olhar para o fiscal de linha para ver se este deixava a bandeirola em baixo.

E foi naqueles 2 segundos, se tanto, que fui do Paraíso ao Inferno. Sendo o paraíso o instante em que reparei que a bandeirola ficou em baixo e o inferno o momento em que, com a estupefacção natural de quem acaba de presenciar um episódio do Twilight Zone, verifico que os jogadores continuam a correr atrás da bola pelo simples motivo de esta não se encontrar anichada no seu lugar natural, ou seja, o fundo da baliza dos espanhóis.

* estou a ganhar coragem para escrever um post, que pode até nem chegar a ver a luz do dia, acerca das expectativas que todos, uns mais outros menos, temos no que concerne às prestações europeias do Benfica e à possibilidade de não estarmos a ser muito racionais ou razoáveis na fasquia que nos propomos suplantar.

 
por Superman Torras - 18:30 | link |


17 comentário(s):


Data do comentário: 13/04/2007, 19:32:00, Anonymous Johnny Rook

Superman,

Pela 1ª vez na minha vida gritei por um golo (válido) que não foi!
Aconteceu-me o mesmo que a ti. Olhei, vejo 2 camisolas vermelhas em cima da linha de golo, fecho os olhos e grito golo.

Fiquei com cara de parvo ao ver o jogo prosseguir. Só em casa percebi o que se tinha passado.

Aquando das substituições também reparei no que mencionas.
Ridículo! Era o Karagounis a perguntar ao Mantorras onde é que ele ia jogar, o Mantorras faz sinal para se chegar à direita(da defesa) e 1'' depois sai e entra o Katsouranis e dá-se a cena que descreves.
Então e o tempo que o FS passou a conversar com o Shéu antes das substituições? Os números dos jogadores a sair deviam ser difíceis de dizer!

Gostei do pormenor do "FOMOS".

 

Data do comentário: 13/04/2007, 20:22:00, Blogger D'Arcy

Só quando cheguei a casa é que me apercebi que aquele lance não foi nenhuma defesa impossível do guarda-redes, foi sim um falhanço imperdoável do Nuno Gomes, que ainda por cima depois conseguiu derrubar o Simão, impedindo-o de tentar a recarga.

 

Data do comentário: 13/04/2007, 21:13:00, Blogger Super Esbutenado

O Nuno Gomes conseguiu a "proeza" de a 10 cm da linha de golo rematar para o sitio onde estava o GR do Espanhol, em vez de encostar a bola para o poste mais distante. Havera algum avancado no mundo inteiro que consiga na mesma epoca falhar 2 golos a centimetros da linha de golo, como o Nuno Gomes fez contra Boavista e Espanhol?!

 

Data do comentário: 14/04/2007, 00:56:00, Blogger S.L.B.

É engraçado, Superman Torras, que eu fiz EXACTAMENTE a mesma coisa que tu! Assim que a bola sai do Rui Costa, olho para o fiscal-de-linha e depois grito logo golo! Só em casa é que me apercebi do que tinha acontecido. O Nuno Gomes NÃO PODE falhar um golo daqueles, mas revejam o lance e verifiquem que o Simão está ligeiramente fora-de-jogo, embora me parecesse que o fiscal-de-linha não o fosse marcar. De qualquer maneira, o golo falhado pelo Futre naquele célebre jogo do Bessa e o do Mostovoi no estádio do clube regional ainda são piores.

Espero sinceramente que escrevas esse post acerca das expectativas.

 

Data do comentário: 14/04/2007, 12:24:00, Blogger Pedro

Aquilo não foi uma defesa...aquilo foi um falhanço inqualificável. Em cima da linha de golo Nuno Gomes invês de encostar o pé à bola em linha directa consegue chutar na diagonal, claramente mais dificil, exactamente na direcção do guarda redes.
E, pior, não foi a primeira vez q tal aconteceu. E ganha isto 25 mil cts no Benfica....assim é impossivel.

 

Data do comentário: 14/04/2007, 12:36:00, Blogger Pedro F.F.

Pedro, para mim,o Nuno Gomes NUNCA é "isto".
Abraço.

 

Data do comentário: 14/04/2007, 14:15:00, Blogger Superman Torras

Para grande pena minha, apensar de não ser apreciador confesso do Nuno Gomes, estamos a centralizar os comentários a este post ao falhanço do Nuno Gomes.

Se calhar é melhor mudar a imagem que escolhi para encabeçar o mesmo...

 

Data do comentário: 14/04/2007, 18:38:00, Blogger Pedro

Infelizmente, para mim, Nuno Gomes tornou-se nesse "isto"...

 

Data do comentário: 14/04/2007, 19:01:00, Blogger S.L.B.

Pedro: um jogador que marca os dois golos que nos dão a vitória em casa do clube regional e comemora apontando para as quinas na manga esquerda JAMAIS se torna um "isto".

 

Data do comentário: 14/04/2007, 19:03:00, Blogger dezazucr

a minha bancada toda saltou, tb não vi esse "golo fantasma" e por acaso não olhei para o fiscal, pensei mesmo q tivesse asssinado fora de jogo. Mas sendo o nuno gomes, não me espanta nem um pouco. Desde que voltou ao Benfica, tirando o ano passado tem sido pouco mais que medíocre e bolas dessas falha uma a cada 3 jogos.

Realmente aqela substituição matou o Benfica.

 

Data do comentário: 14/04/2007, 22:12:00, Blogger Pedro

É impressionante a tolerância q os benfiquistas têm para com certos jogadores, pagos a peso de ouro com rendimento deplorável e depois são implacaveis perante outros q dão tudo em campo e custam meia dúzia de tostões no final de cada mês.

Sinceramente não vos percebo.

 

Data do comentário: 15/04/2007, 00:02:00, Anonymous Johnny Rook

Pedro,

Eu falo por mim (e penso que, de alguma, forma pelos outros). Sabes o que é? É não ter memória curta, nem ser mal agradecido.

Os números e atitudes do Nuno falam por ele. O Nuno tem pedigree benfiquista os outros de que falas não têm.

Nunca fui ingrato para com os jogadores que tudo deram ou dão ao SLB.

Outra coisa é falar-se no estado de forma actual do NG. Está mal. Muito mal. Tem de ir para o banco. Se não vai, a culpa é só de 1 pessoa. Sabes qual é, não sabes?

 

Data do comentário: 15/04/2007, 01:43:00, Blogger Pedro

Johnny tb não sou ingrato mas tb não considero o SLB a santa casa. O Nuno deu muito ao SLB??? Talvez e o SLB não lhe deu muito a ele?

Não posso aceitar q o NG seja o jogador mais bem pago do plantel e ter o rendimento q tem. E não é de hoje...

 

Data do comentário: 15/04/2007, 03:07:00, Blogger S.L.B.

Este comentário foi removido pelo autor.

 

Data do comentário: 15/04/2007, 03:08:00, Blogger S.L.B.

Pedro: é certo que o Benfica não é a Santa Casa, mas hás-de me dizer de que "outros" é que os benfiquistas dizem mal e que "custam meia dúzia de tostões no final de cada mês". Espero que não te estejas a referir ao Moretto...

E o Johnny Rook já disse tudo: eu também não tenho a memória curta e JAMAIS direi mal de um jogador que apesar de as coisas não estarem a correr bem, dá sempre o litro, além de que já marcou mais de 100 golos pelo Benfica (e não foram todos contra o Leça). "Cuspir" na prata da casa, em jogadores que sentem o clube, é um erro que muita gente faz sistematicamente e porque algumas direcções foram atrás desta atitude é que estivemos no estado em que estivemos há não muitos anos atrás. Suponho que em vez de Joões Pintos, Isaías e Paneiras fossem melhores Totes, Pringles e Tauments...

 

Data do comentário: 15/04/2007, 08:37:00, Anonymous born again Indio

Tens razão Pedro.Mas hoje o nivel de exigência da massa adepta do Benfica é nitidamente inferior ao que era anteriormente.
O NGomes não vale obviamente o que ganha, nem me interessa se dá beijinhos na águia ou se fala muito no amor ao Benfica, quando o que ele tem que fazer não faz, marcar golos fáceis.
Preferia ter um jogador que não fosse Benfiquista, que não desse beijinhos na camisola mas marcasse as inumeras oportunidades que lhe aparecem. É para isso que ele é pago.
Ademais tambem não percebo como se pode insistentemente pedir a "cabeça" de FS (que nisto de benfiquismo é-o há muito mais tempo que o NGomes, mas tá bem não dá beijinhos na camisola)e deixar passar em claro o facto de jogo apos jogo e ano apos ano, aquele gajo falhar golos incriveis.
Grandes jogadores foram p/o banco quando o Benfica ganhava campeonatos atras de campeonatos (qualquer um melhor que o NGomes)e nunca houve esta "idolatria" sem sentido, pelo contrario muitos deles até eram vitimas de boatos maldosos.
Eu nem quero mal ao NGomes, o que eu quero por justiça e por memoria, é homenagear tantos outros jogadores que por ali passaram e que criaram um nivel de exigência e etica e diria mesmo de glória.

Se não os viram , comprem videos, DVD's, K7, livros. O benfica só será grande quando o nivel de exigência dos seus adeptos for grande. O que me parece é que alguns estão demasiado habituados a perder, vejam então os videos, se isso lhes permitir ter uma noção do que é o Benfica. O Benfica não é o clube do NGomes, o Benfica é o clube do Bento, do Pietra , do Germano, do Eusébio, do Simões, do Àguas, do Néné, do Alves, do Shéu, do Toni, do R.Costa, etc...do grande Coluna, etc..Borges Coutinho, dos que construiram o estádio gratuitamente com as próprias mãos mas tambem do Mário Dias, etc..
O Benfica é dos poucos clubes Míticos do Mundo.Exijam a sua grandeza, não exaltem (desculpem-me) a mediocridade.

Viva o Glorioso!

 

Data do comentário: 15/04/2007, 13:24:00, Blogger Pedro

Não me estou a referir ao Moretto pois esse não custa tostões mas posso referir-me claramente a um Beto por exemplo. Beto não nenhuma estrela, é um jogador muito limitado e o seu ordenado reflete isso. O Nuno Gomes não só é o mais bem pago da equipa como é o avançado de referência e tem um rendimento deplorável. E é isso q está em causa. Não são os beijos no simbolo, são os golos q ele falha.

Eu fui um acérrimo defensor do NG qd havia motivos para isso, qd ele lutava sozinho na frente, qd a bola não lhe chegava, qd ele com o seu jogo criava espaços e tabelinhas para os colegas rematarem e os adeptos não percebiam isso. Mas agora nada disso se passa. Estamos a falar de um avançado q falha várias situações CLARAS de golo a cada jogo. Amigos é em cada jogo. Estamos a falar de um avançado q tem tido oportunidades atrás de oportunidades e não tem cumprido. É essa a questão.

Volto a frisar com 30 mil cts mês temos que ter um matador na frente!!!! E não alguem q sistemáticamente falha golos a um metro da baliza.

É idolatrar jogadores com rendimento nulo q o SLB bateu no fundo. Os jogadores têm q ter um rendimento de acordo com o q ganham. O Simão Sabrosa é um perfeito exemplo disso. Bem pago mas desde q está no SLB q é o melhor jogador e quase sempre o melhor marcador. Esse justifica o chorudo cheque q recebe todos os meses.

Pensava q tinhamos aprendido a lição com o João Pinto....infelizmente parece q não...