Este blog mudou de endereço e agora está em http://tertuliabenfiquista.blogs.sapo.pt.

sexta-feira, abril 20, 2007
Leituras aconselhadas.
Ninguém é dono da verdade e há opiniões que, embora com elas não concorde na totalidade, merecem um destaque idêntico à reflexão que motivam.
Assim, não posso deixar de destacar e de trazer a este blogue excertos de dois textos que li e que vos convido também a ler.

1)Em defesa de Fernando Santos” é um texto de Bruno Prata no “Público” de hoje. Ao fazer a defesa possível de Fernando Santos, o autor do texto não deixa de reflectir sobre a falta de coerência (ainda que ele não a qualifique deste modo) dos jornais desportivos.
Aqui ficam alguns excertos, mas aconselho a leitura integral aqui.

«A cabeça de Fernando Santos, mais do que posta a prémio, foi praticamente degolada pela imprensa desportiva no dia a seguir ao empate cedido pelo Benfica frente ao Braga. Trabalhos semelhantes publicados nos jornais A Bola e Record afiançavam não só que o técnico apenas escaparia ao despedimento caso garantisse o apuramento directo para a Liga dos Campeões (e o Record acrescentava que mesmo
isso "pode não chegar"...)
[…]
Por outro lado, e mesmo tendo em conta que os jornais fizeram o seu trabalho, alguma coisa faltará explicar se levarmos em conta que os dois diários referidos e também O Jogo garantiam ontem que, afinal, Fernando Santos continua a ter o apoio
incondicional do presidente do Benfica. Bastou uma visita de Santos ao hospital onde Luís Filipe Vieira estava internado a recuperar de uma pneumonia para que as informações do dia anterior e as manchetes a toda a largura perdessem actualidade e dessem lugar a novas teorias e a notícias contraditórias e mais envergonhadas, mas, ainda assim, com destaque significativo nas primeiras páginas.
[…]
Em apenas 15 dias, o Benfica estragou a carreira europeia e comprometeu a corrida ao título, deixando ainda complicado o apuramento directo para a Liga dos Campeões. Mas é bom ter também em conta que o mesmo Benfica efectuou esta época 14 jogos europeus, mostrou muita qualidade durante vários períodos da época, tem mais cinco pontos do que Ronald Koeman tinha há um ano e só falhou o título nacional porque não conseguiu melhor do que um empate na Luz com o FC Porto (alguém duvida de que com uma vitória nesse jogo jamais o Benfica sairia da liderança?). O balanço está longe de ser positivo. Mas podia ser melhor numa equipa em que o ponta-de-lança (Nuno Gomes) precisa de 313 minutos para marcar cada um dos seus parcos seis golos?»
(link)



2) “De que falamos quando falamos de crise?” é um texto de LF no blogue “Vedeta da bola”. Neste excelente post, o autor provoca um conjunto de reflexões muito interessantes sobre a facilidade com que se atribui a responsabilidade do fracasso apenas ao treinador.

Aqui ficam alguns excertos, mas aconselho a leitura integral aqui.

«O Benfica não perde para o campeonato há 15 (!!) jogos. Trata-se da melhor equipa da segunda volta da nossa Liga, na qual conquistou, não esqueçamos, três pontos ao F.C.Porto. Continua invencível em casa para as provas nacionais, e mesmo nos sete jogos internacionais que realizou na Luz, apenas foi derrotado por um super-Manchester United, e, diga-se, com um toque de injustiça. Há muitos anos que os encarnados não tinham tantos pontos à 25ª jornada da Liga, contando inclusivamente com a época em que se sagraram campeões, título que, como sabemos, foi conquistado com uma das mais baixas pontuações de sempre, bem como com as épocas de Camacho e Koeman.
[…]
Em vez de apostar no reforço da estrutura campeã, a direcção encarnada optou por lhe desferir mais uns golpes, dispensando Geovanni e deixando sair de forma estranha e mal explicada o talentoso Manuel Fernandes. Ao contratar Miguelito, Manu, Paulo Jorge, Diego Souza e Kikin Fonseca, o Benfica, mais do que reforçar, desestabilizou. Katsouranis foi a excepção que confirma a regra, e Rui Costa é um caso especial.
[…]
O presidente do Benfica, que gosta de gritar muito alto que vai ganhar este mundo e o outro, que explora até à exaustão "fait-divers" como a entrada no Guiness, que fala quando tem razão e quando a não tem, devia ponderar sobre a forma como a sua equipa de futebol se tem vindo a desfigurar, do dinheiro mal gasto em contratações falhadas (quase duas dezenas desde o título) e da forma como o clube não soube ou quis manter elementos de grande qualidade (Miguel, Tiago, Manuel Fernandes, Geovanni) e outros que eram importantes ao nível do balneário. A conversa dos “novos-heróis” ou da espinha dorsal não passou disso mesmo, pois a convulsão tem sido constante, e restam apenas pouco mais de meia dúzia de jogadores do plantel campeão.»
(link)



Para ler e reflectir.
 
por Pedro F.Ferreira - 20:01 | link |


9 comentário(s):


Data do comentário: 20/04/2007, 21:12:00, Blogger bem litrado

De facto, são textos que vêm muito a propósito.
Sobre o Fernando Santos cuja contratação nunca foi do meu agrado, o que afirmei sempre publicamente, motivou alguns comentários de muitos benfiquistas interpelando-me sobre se mantinha a minha opinião, na altura em que o Benfica até apresentava um futebol no mínimo agradável. Mantive sempre a minha opinião inicial embora feliz por estar aparentemente enganado. São os mesmos benfiquistas que me perguntavam "Então, já gostas do Fernando Santos?" que agora são os primeiros a desejar a sua saída. O que eu digo é que não se deve passar do 8 para o 80 e vice-versa, só porque se perde ou ganha um jogo. da minha parte, o que eu vejo com alguma pena dado que o fernando Santos nunca escondeu o seu benfiquismo é que este não tem perfil para ser treinador do Benfica. Primeiro porque não me parece um treinador muito dotado tacticamente, por outro lado falta-lhe liderança e capacidade para motivar os jogadores. Sobra-lhe vontade mas isso não chega. Tal facto não invalida que com ele, o Benfica foi capaz de jogar bom futebol, não tendo porém sido capaz de manter essa qualidade por muito tempo. Por isso, parece-me que não se deve crucificar o homem.

Sobre a política desportiva e gestão do plantel, tem havido de facto alguns erros/equívocos que importava não repetir. Obviamente, noto o Benfica mais organizado, mais seguro daquilo que pode fazer em termos de políticas financeiras e que me parece estarem a dar bons resultados. No entanto, não posso deixar de referir os seguintes pontos:
- A venda de Ricardo Rocha foi obviamente má. Não poderia ter sido concretizada apenas no final da época?;
- Antes disso, a saída do Alcides sem que este nunca tivesse tido oportunidade de jogar no seu lugar defesa central e não defesa direito;
- Não sei até que ponto a contratação de Derlei não terá causado algum mal estar no plantel. A mim parece-me. Treinou dois dias e jogou no fim-de-semana seguinte. Que terão sentido os outros jogadores? Se este fosse um fora-de-série...
- Nunca percebi a contratação de Marco Ferreira...
- Kikin Fonseca parece-me ter sido uma boa tentativa mas não deu certo...acontece.
- Miguelito foi uma boa contratação mas sem oportunidades, é difícil. Gostaria de perceber como é que o FS motiva um jogador destes. Se for como faz com o Mantorras, está tudo dito.
- A saída de Manuel Fernandes foi tão estúpida como as atitudes deste, metendo no mesmo saco a saída de Miguel;
- A saída de Tiago foi inevitável.
Afinal uma das grandes diferenças entre O Benfica e os maiores clubes europeus é a capacidade que estes têm em manter os melhores jogadores na equipa e isso só o dinheiro resolve. Como o futebol se confunde cada vez mais com dinheiro...temos que aguentar, esperando que o grande potencial humano deste grande Benfica se transforme um dia numa erupção imparável ou pelo menos capaz de se bater ano após ano com os maiores símbolos do futebol europeu.

 

Data do comentário: 20/04/2007, 23:44:00, Blogger sosia da bola

Enfim....que mais haverá para dizer.......

Gente, já lá mora o tinga....e não é que é verdade?

 

Data do comentário: 20/04/2007, 23:47:00, Anonymous Anónimo

Fernando Santos, nunca foi, não é e nem nunca será treinador do meu BENFICA!!! Deixem-se de lamechices...
JGomes

 

Data do comentário: 21/04/2007, 08:01:00, Anonymous born again Indio

Excelente análise, ser benfiquista não significa perder a lucidez a favor da emoção, do populismo, e das vedetas do costume.
O futebol do Benfica não pode continuar a ser gerido como foi nos ultimos 2 anos, não há treinador que resista, não há jogador que resista, não há adepto que resista.

 

Data do comentário: 21/04/2007, 09:18:00, Blogger Superman Torras

O Benfica tem mais pontos este ano porque o campeonato é nitidamente mais fraco. A redução das equipas participantes no campeonato nacional teve curiosamente o perverso efeito de tornar as equipas menos competitivas do que sucedia anteriormente.

Hoje em dia e descontando os 3 grandes e o Braga, tudo o resto pratica um futebol muito insonso. O próprio Belenenses que tem feito uma época admirável, com um plantel constituído na sua larga maioria por jogadores que se preparavam para disputar a divisão de honra, não tem feito mais senão cócegas aos 3 grandes quando os defrontou.

São estes que estão mais fortes? Como?

Nas competições europeias, o Benfica falhou em atingir os oitavos de final (o que Koeman, por exemplo, tinha conseguido, num grupo muito mais difícil) e depois na Taça UEFA limitou-se a passar, com muito esforço, por equipas como Dínamo Bucareste e PSG, sendo eliminado assim que lhe apareceu pela frente um adversário mais complicado, nada que se compare no entanto aos gigantes da época anterior, de um campeonato mais competitivo do que o são o romeno e o francês. E estávamos, recordo, a falar do actual 9º classificado desse campeonato.

Portanto alto lá com os cavais, porque daqui a pouco estamos a dizer que este campeonato foi perdido por "azar", o que como todos sabemos no nosso íntimo está longe, muito longe, de corresponder à realidade.

Ou não temos visto os mesmos jogos?

 

Data do comentário: 21/04/2007, 09:24:00, Blogger Ry

Como sempre, esta é uma questão relativa e são como se diz em nome de eleições: valem o que valem.

Temos mais pontos e grandes sequências sem derrotas, mas estamos em 3º. E no final, daqui a 10 anos, este campeonato só será um 3º lugar. E isso é que é importante. De vitórias morais, estou eu farto.

Na minha opinião, o que é relevante é que este treinador tem um grupo de jogadores que é, à partida, superior aos de Camacho, Koeman e Trap. No entanto, não tira partido deles. E isso é responsabilidade dele.

Porquê é que os jogadores menos utilizados jogam tão pouco? Porquê é que esta época tivemos 3 ou 4 casos de jogadores a jogar sem estarem a 100% e a terem recaídas? Porquê é que quando alguém tem que sair da equipa se revoluciona a táctica? Porquê é que o treinador repete à exaustão coisas como "eu disse para os jogadores jogarem assim e eles não conseguiram"? Porquê é que os jogadores nucleares estão de rastos nesta altura da época e não foram poupados quando fizemos 9 vitórias seguidas contra adversários menos cotados e sem competições europeias? Que evolução pode ter um jogador jovem como João Coimbra a jogar 1m para o campeonato e a entrar a titular em jogos cruciais, fora, contra equipas internacionais e com ritmo bem mais forte que o campeonato português?

É por isso que este treinador é um incompetente. Já tentei pensar nos vários problemas da equipa e a responsabilidade de os detectar, resolver ou contornar é sempre da mesma pessoa: ele. E sim, há azares e contrariedades que o homem não tem que prever. Mas a sua falta de liderança é que nos foi lentamente adormecendo e arrastando para esta morte lenta.

Este é o pior treinador do Benfica desde o Artur Jorge. Desperdiçou, destruiu e partiu uma grande equipa e um bom balneário. Isto é inegável.

 

Data do comentário: 21/04/2007, 10:21:00, Anonymous JWilson

Na sinceridade do LF acredito, da sinceridade do Bruno Prata desconfio. Toda a gente conhece a parcialidade da sua escrita e o seu portismo primário.

 

Data do comentário: 23/04/2007, 11:46:00, Blogger Artur Hermenegildo

Relativamente às saídas e entradas, digo o seguinte:

- Como estarão lembrados, Tiago e Miguel saíram porque quiseram, e de forma até publicamente desagradável;
- Manuel Fernandes foi quase o mesmo, com a diferença que... ainda não saiu, e não sabemos se sairá;
- A saída de Ricardo Rocha era inevitável, embora para este campeonato tenha sido fatal; a médio prazo, talvez tenhamos ganho, com a entrada de David Luiz;
- Penso que a dispensa de Geovanni foi um erro, tal como a de Manduca e Karadas, e em Janeiro idem para a saída de Alcides;
- A entrada de Derlei não resultou, mas às vezes há apostas que têm de ser feitas porque parecem boas à partida; umas resultam, outras não, por isso são apostas;
- Não penso no entanto que se possa dizer por isso que a gestão de plantel tem sido um desastre e que é a culpada da época sem títulos.

 

Data do comentário: 23/04/2007, 11:51:00, Blogger Artur Hermenegildo

Quanto ao treinador, embora eu concorde com as críticas que lhe são feitas, não penso, como já o disse várias vezes, que seja o culpado dos desaires.

Neste momento, só seria de encarar a sua saída se houvesse a possibilidade de contratar um treinador de top mundial. Para vir outro do mesmo nível, acho que mais vale dar-lhe a hipótese de mais um ano. Sou dos que penso que é nocivo para uma equipa estar sempre a mudar de treinador, e por isso acho que Fernado Santos deve ficar.

Há quantos anos não temos um treinador que faça duas épocas completas seguidas? Acho que desde o Eriksson... Estou a escrever de memória, mas acho que não estou enganado.