Este blog mudou de endereço e agora está em http://tertuliabenfiquista.blogs.sapo.pt.

segunda-feira, agosto 20, 2007
Não respirar (debaixo d'água)

Encarei a passagem do Fernando Santos pelo Benfica como se encara um longo mergulho em água gelada, que nos obriga a suster a respiração até chegarmos ao outro lado. É um sacrifício que tem de se fazer e que se faz tendo presente a todo o momento que o mergulho não dura para sempre e que, quando finalmente se emerge, o alívio é enorme. Parece que a vida fica suspensa enquanto se está debaixo de água, que se fez uma pausa no normal andamento do Universo. Quando se vem à superfície, o mundo parece que começa a rodar de novo e a vida recomeça.

O Benfica prolongou o mergulho, numa mistura bizarra entre um exercício sado-masoquista e um teste científico, até ao limite da reserva de oxigénio. Não é preciso arriscar o afogamento para perceber que não dá para respirar debaixo de água. Basta, se calhar, ter senso comum e atentar nas provas e experiência dos outros.

É, no fundo, como tocar num cabo de alta tensão para ver se dá choque. Dá, e não é preciso lá mexer.

Agora que o LFV sabe que algumas das verdades absolutas são mesmo verdade (como ‘treinadores incompetentes não servem para o Benfica’), não me parece ser necessário continuar a desafiar o destino.

Emergimos hoje de um mergulho longo e desnecessário. Respiremos fundo. A vida recomeça.

p.s.1 não esqueço, nem por um segundo, que as responsabilidades do que aconteceu nestes 13 meses não morrem no Engenheiro. O prolongamento do inadiável e a gestão imbecil das entradas e saídas têm outros responsáveis, hierarquicamente superiores;

p.s.2 O Camacho não é a cura para todos os males, nem se lhe pode exigir que o seja. Mas é um homem com carisma, é um condutor de homens, é um tipo com garra e com os tomates no sítio, que manda a mensagem certa cá para fora, que extrai o rendimento máximo dos jogadores. E que, por tudo isto, tem uma empatia especial com a alma colectiva benfiquista. Como se exige que um treinador do Glorioso tenha. Já sentia a falta dos berros desde o banco.
 
por Carlos Miguel Silva (Gwaihir) - 14:25 | link |


16 comentário(s):


Data do comentário: 20/08/2007, 14:32:00, Anonymous Porco

Finalmente!

Demorou mas mais vale tarde que nunca. No entanto, não resolve tudo. E até é um pouco com decisões destas que se vão perdendo titulos. Não quero entrar numa de criticar por não despedir e criticar por despedir (até porque apoio a saída do F. Santos), mas de facto é com este tipo de gestão que não se vai a lado nenhum. Quem despede um treinador à 1ª jornada é porque sabe o que aí vem. É porque sabe o que se (não) pode esperar. Será que era mesmo necessário esperar por este 1º jogo do campeonato? Quantos de nós não escrevemos aqui logo no final da época passada que seria melhor despedir logo F. Santos e contratar um novo treinador? Não era já expectável que um mau inicio de época resultaria nisto? Pelos visto só Lfv não se apercebeu.

A saída de F. Santos não resolve tudo. Lfv deveria deixar o cargo de director desportivo para alguém que de facto saiba o que faz. A caótica, amadora e ridicula pré-época que passou deixou bem claro que Lfv não serve para esse cargo.

Quanto à vinda de Camacho, talvez seja a melhor opção, nesta altura. Como treinador não é mais que mediano, mas é um excelente gestor de homens, e com ele teremos a certeza que se trabalha como deve ser. No entanto, deixa-me um pouco de pé atrás a forma como muitos de nós benfiquistas falam de Camacho. Como se fosse o salvador da pátria. Lembram-se de Toni?

 

Data do comentário: 20/08/2007, 14:41:00, Anonymous Anónimo

Vocês que se iludam ao pensarem que a culpa é toda do Fernando Santos...

 

Data do comentário: 20/08/2007, 14:42:00, Anonymous Anónimo

Este é um dia triste para o Benfica.
Independentemente dos méritos e deméritos do Fernando Santos, percebe-se hoje que o Presidente do SLB esteve intencionalmente, ao longo dos últimos tempos, a criar condições para o insucesso a curto prazo da nossa equipa (veremos com que consequências a médio e longo prazo).
Quem pode ainda acreditar que as férias com o Camacho e a ausência no estádio do Bessa foram inocentes?
Cheira-me que no último sábado LFV, como noutros tempos, não festejou os mesmos golos que nós...

 

Data do comentário: 20/08/2007, 14:47:00, Anonymous Anónimo

o camacho nao vai fazer milagres mas a ver vamos piorar nao piora de certeza.
e para adjunto era preciso o alvaro magalhaes alguem com o sangue a ferver e ke vê as coisas e nao ta caladinho a olhar feito pacóbio o chalana nao tem sangue na guelrra podia tar no ekipe mas é preciso outro adjunto alvaro magalhaes já.

norter vermelho

 

Data do comentário: 20/08/2007, 14:50:00, Blogger Eu

(Eu acabei de comentar o texto do anastércio, mas não quero passar ao lado deste sem deixar tb um olaré...)

sinceramente, não compreendo mto bem essa ansia pelo "carisma".

para mim, num clube quem tem de ter carisma é o presidente, e o carisma deriva do carácter. se quem manda tem carisma, necessariamente quem lhe obedece tem de ter, ou não seria escolhido (acho q isto é básico)

e se o objectivo é ter um gajo no banco q grite e seja um bom condutor de homens, pois bem, contrate-se um pastor do reino de deus...

 

Data do comentário: 20/08/2007, 14:59:00, Blogger Gwaihir

Bom, é o único comentário que vou fazer aqui, que quem me conhece sabe que não tenho a mínima pachorra para estas interacções.

Quem acha que um treinador não tem de ter carisma e ser essencialmente um gestor de homens é porque nunca jogou futebol na vida, não percebe o que é isto do futebol actual e acha que o treinador pode ser um panhonha sem tomates, desde que o Presidente seja um gajo 'com carácter'. Haja paciência.

No futebol actual, as técnicas e as tácticas já foram escapelizadas ao máximo e são 'common knowledge'. Hoje em dia, acima de tudo, quem vence é quem gere - com a competência que se exige no plano técnico e físico - o aspecto psicológico de forma competente e quem domina a gestão de recursos humanos e do que os faz correr. Quem, no fundo, cria equipas com capacidade competitiva e mentalidade ganhadora (claro que para isso é preciso ter jogadores com qualidade).

 

Data do comentário: 20/08/2007, 15:04:00, Blogger karadas

Duma forma demagógica e populista, LFV demitiu Fernando Santos do comando técnico do Benfica. Com esta atitude o presidente encarnado pretende agradar aos benfiquistas e, ao mesmo tempo, sacudir a água do capote. Para os mais ingénuos, esta é uma medida inevitável e merecedora dos maiores aplausos. Para os mais avisados, ela é apenas mais uma tentativa de salvar a pele e de desviar atenções sobre os reais problemas que assolam a “instituição” Benfica.
Estou à vontade para falar sobre Fernando Santos já que manifestei a minha total discordância logo aquando da sua contratação, por considerar estarmos perante um treinador sem carisma, com um relacionamento difícil com os jogadores e, sobretudo, por não ter um currículo que justificasse a sua vinda para o Benfica.
Isto não invalida que eu considere que o timing escolhido para este despedimento é de todo inoportuno, uma vez que Fernando Santos pouco terá contribuído para o clima de instabilidade que se vive actualmente no Benfica ( se é que alguma responsabilidade lhe pode ser assacada). Foi LFV que preparou esta época; foi LFV que deixou sair os principais jogadores e para os seus lugares trouxe jogadores jovens e inexperientes; foi LFV que correu com José Veiga e abandonou Fernando Santos à sua sorte; foi LFV que colocou demasiada pressão no plantel e equipa técnica ao afirmar que estávamos perante o melhor plantel dos últimos 10 anos, quando a realidade nos diz exactamente o contrário. Resumindo: se há pessoa que devia vir a público assumir toda a responsabilidade por um início de época miserável essa pessoa devia ser o presidente encarnado. Sempre tão lesto em defender a sua honorabilidade, LFV tinha aqui uma boa oportunidade de atestar a nobreza do seu carácter. Em vez disso, assobia para o lado e atira as culpas para cima de mais um treinador há semelhança do que tem feito noutras ocasiões.
Para substituir Fernando Santos anuncia-se a vinda de Camacho, o salvador da Pátria para a maioria dos benfiquistas. É bom que estes não se esqueçam que, curiosamente, o espanhol tem um currículo bem inferior ao do técnico Fernando Santos, sendo que o único título que tem na carreira foi uma Taça de Portugal conquistada aquando da sua passagem pelo Benfica. Ora isto não é suficiente para que estejamos perante um treinador de excelência. E era exactamente dum treinador de excelência que o Benfica precisava neste momento. Era absolutamente proritário que há frente do plantel encarnado estivesse alguém cuja competência não pudessse ser minimamente contestada. Por todas as razões e mais alguma, quanto mais não fosse para fazer cair o mito de que no Benfica os maus resultados são sempre devidos ao treinador.

 

Data do comentário: 20/08/2007, 15:05:00, Blogger slbcarlitos

EU:
E já agora falavas do que sabes porque para mensagens dessas já basta a cambada de opinantes-makers que andam aí pelos pasquins e pelas TVs a mandar bitaites sobre o que não sabem.

Um líder tem de ter carisma. O treinador é um líder por natureza. O nandinho não é um líder. Camacho é um líder. Só ser líder não chega para ser treinador. Camcho não é só um líder. Camacho é muito mais do que isso. Mas quase só isso chegava para este Benfica. E o Nandinho não chega para este Benfica!

Apesar de tudo, LFV continua em cheque!

 

Data do comentário: 20/08/2007, 15:22:00, Blogger Eu

caro gwaihir, tb Eu te acompanho na "ausência de pachorra", mas perante a tua atenção, tenho de, pelo menos, retribuir com a mesma cortesia (questões de carácter...e carisma ;)

Eu não escrevi q um treinador não deve ter carisma. claro q tem de ter, aliás, no Glorioso até a senhora da limpeza deve ter carisma. o q disse foi q não é ao treinador q compete a maior fatia desse epíteto. nunca! pode qdo muito ter o mmo q o presidente, esse sim, o verdadeiro líder de um clube e dos seu homens (sejam eles quais forem, desde o vice-presidente até ao sócio mais novo) se assim não for, temos uma estrutura estiolada, onde não se percebe mto bem a origem da verdadeira responsabilidade (e digo isto, pq m parece q s está a cair de novo na tentação de direccionar todas as esperanças e desventuras para o treinador, qdo ele é só mais uma peça, importante, mas uma peça da responsabilidade do tal "carisma-mor")

concordo plenamente com o segundo parágrafo, mas reforço a minha, se um presidente tiver carácter e carisma, nunca escolherá um treinador q não os tenha tb, e neste caso tenho a impressão q o nosso presidente está a esgotar essas qualidades e tenta substituir-se por alguém q - PARA MIM - não entra pela minha porta grande (desculpem lá), não tem valor provado para isso, nem sequer legitimidade

como disse, espero q tudo acabe por correr bem, a ver s recuperamos o carisma da massa adepta

(em relação ao ter jogado futebol, fui jogador federado pelas camadas jovens do ginásio clube de corroios, mas tb não é isso q faz alguém perceber mais ou menos de futebol ;)

 

Data do comentário: 20/08/2007, 15:30:00, Anonymous Anónimo

Como diria o outro: "Não havia necessidade ...".
Na verdade, não era necessário esperar pela 1.ª jornada da Super Liga e um jogo mais que sofrível da 1.ª eliminatória de acesso à Liga dos Campeões para proceder ao despedimento do Fernando Santos.
o timing adequado deveria ter sido o do final da época transacta.
Como é possível planear a nova época (preparação da pré época e aquisição de jogadores) com o treinador que posteriormente se despede após a 1.ª jornada?
Sem dúvida que há grande responsabilidade da direcção do SLB, principalmente do seu Presidente, ao não ter tido a coragem para despedir o Fernando Santos no final da época passada e contratar um novo treinador que fosse o responsável, a todos os níveis, pela preparação da actual.
Será que o LFV não se apercebeu, como a generalidade dos sócios e simpatizantes do SLB, que o Fernando Santos, não obstante ser um bom homem e um homem sério, não tem o perfil para treinar o Glorioso?
Camões dizia: "Um fraco Rei faz fraca a forte gente".
Fernando Santos é "fraco" do ponto de vista psicológico e fragiliza a equipa, não lhe dá energia, ânimo e garra.
Comete muitos erros tácticos e erros de gestão dos recursos humanos.
Sempre considerei que era necessário dar tempo ao Derlei, que vinha de um grande período de inactividade. Foi um erro não se ter renovado com o mesmo. Certamente fará uma grande época no Sporting.
Não se motivou e apoiou o suficiente o jogador.
Lembro-me de um jogo em que o SLB estava a ganhar 2-0, na Luz, a 20 minutos dos 90 e beneficiou de uma grande penalidade.
Penso que todos os benfiquistas pensaram no Derlei para a marcar, para motivar o jogador com a marcação do mais que provável seu 1.º golo, que tanto estava a custar obter.
Mas o Fernando Santos indicou outro jogador, salvo erro o Katsoranis.
Mais uma demostração da má gestão dos recursos humanos e do não saber trabalhar o aspecto psicológico dos jogadores.
Quanto à solução António Camacho, penso não ser a ideal.
Preferia um treinador mais qualificado e com maior competência do ponto de vista técnico.
Apesar de considerar que o Camacho tem muito mais personalidade e gara que o Fernando Santos e que, sem dúvida, conseguirá incutir outra energia nos jogadores, penso que não deixa de ser limitado no ponto de vista técnico.
É bom não esquecer que muitas vezes foram contestadas as suas opções.
Por exemplo com o Benfica a perder em Alvalade substituiu um avançado por outro a 15 minutos do fim da partida.
Preferia um treinador mais qualificado e com experiência (tipo Eriksson) ou então um novo com personalidade e que não tivesse medo de arriscar e, até, Português.
Os Mourinhos só aparecem se lhes forem dadas oportunidades.
Aliás, o único mérito do Vale e Azevedo foi ter dado uma oportunidade ao Mourinho de ser treinador principal. Se não o tivesse feito, talvez o mesmo ainda fosse treinador adjunto.
Concordo que deveria ser chamado o Álvaro para fazer parte da equipa técnica, como sucedeu na anterior passagem do Camacho pelo SLB, tanto mais que é um treinador conhecedor do futebol Portugu~es e tem "ganas" como o Camacho.
JP

 

Data do comentário: 20/08/2007, 16:06:00, Anonymous Chega de improvisar!

Talvez passe pelo pós-Camacho a próxima e necessária mudança. A do presidente.
Não acreditam?!
Eu também não, mas gostava...
Sabem que mais, já cá ando há muito e não tenho dúvidas que vamos ter mais do mesmo... com outro treinador e o mesmo presidente.

 

Data do comentário: 20/08/2007, 16:09:00, Blogger dezazucr

O LFV tem as culpas que tem e ninguém lhe sacode essa água do capote. Agora o certo é que não podíamos continuar mais com FS.

Ele que venha apoiar para a bancada.

Venha Camacho que será bem recebido. Esperemos que não aconteça como o Toni. A melhor das sortes pois ainda vai bem a tempo, tem uma temporada toda pela frente.

Recordo que o ano passado também o jesualdo pegou no plantel dos outros após a pré-época e fez um grande arranque, conseguindo ganhar o campeonato.

Devería ter sido mais cedo? Devia. Mas ainda vai a tempo

 

Data do comentário: 20/08/2007, 16:40:00, Blogger catenaccio

A ilusão da chicotada psicológica http://catennac1o.blogspot.com/2007/08/iluso-da-chicotada-psicolgica.html

Aí está a notícia por que todos ansiavam: Fernando Santos foi demitido e José Antonio Camacho é o treinador escolhido para suceder ao engenheiro do penta.

Quem visita o Catenaccio, sabe bem que não morria de amores pelo treinador português. Desde o anúncio da sua contratação que tinha a certeza acerca da sua incompetência e, desde sempre, fiquei desconfiado com o hipotético sucesso que poderia ter de águia ao peito.

Sim, Fernando Santos não é (era) treinador para o Benfica. Tinha (tem) um fraco currículo, com passagems pelo Sporting e pela Grécia sem resultados. Como agravante, é um treinador com ideias ultrapassadas, tacticamente inconsequente, agarrado a dogmas do passado, sem perfil para lidar com a comunicação social e sem personalidade para gerir um plantel obrigado à pressão de vencer. Obviamente que a notícia não deixa de ser positiva, mas o timing tem muito que se lhe diga.

Confesso que a chicotada psicológica não teve o condão de me despertar um sentimento ganhador. Não é pelo facto de Fernando Santos provavelmente ir treinar o Zamalek (com todo o respeito) que passei do estado depressivo para o estado eufórico. Nem quando se fala no seu sucessor: José Antonio Camacho, treinador com carisma e que muito admiro.

Infelizmente, o engenheiro do penta é o elo mais fraco, a vítima populista do presidente do clube encarnado. Para quê esperar pelo início da época, quando TODA a gente já percebia que Fernando Santos nem devia ter começado a preparação 2007/2008? Assim, o Benfica perdeu mais de um mês na pré-temporada, insistindo em hábitos do passado e com um modelo de jogo à imagem do treinador, pode ter hipotecado a passagem à fase de grupos da champions league e arriscou um mau início de campeonato. Caro sr. presidente, só agora tomou consciência do que a nação benfiquista via há meses?

Não sei porquê, mas hoje lembrei-me de um nosso ex-presidente, chamado Manuel Damásio, que tinha o estranho hábito de contratar um novo jogador logo após cada derrota do glorioso. A isso chamo populismo e atirar areia para os olhos dos sócios. A história repete-se com Luís Filipe Vieira: ao tomar contacto com diversos ecos de insatisfação, nomeadamente após a saída de José Veiga e no que diz respeito à política de contratações, decide brindar a nação benfiquista com a solução mais óbvia, despedindo o treinador com a imagem já desgastada e fragilizada perante os sócios.

Pergunto: foi Fernando Santos quem contratou, numa tempestade de Inverno, aquelas cinco vedetas chamadas Moretto, Marco Ferreira, Manduca, Laurent Robert e Marcel? Quantos deles estão no Benfica? Foi o ex-treinador encarnado que decidiu vender Ricardo Rocha (que falta fazia) a meio da época anterior? Já para não falar na perda de Simão...e imaginem o que seria o FC Porto sem Quaresma. Ah, e ficar sem Manuel Fernandes na véspera de um desafio tão importante para o prestígio e futuro económico do clube. Será que o sr. presidente não tem culpas no cartório, ou a culpa morre solteira?

Aquilo que quero deixar bem claro é que podemos estar perante o título deste post: a ilusão da chicotada psicológica. A questão do treinador pode estar resolvida mas, será que, como referiu Nuno Gomes, chegou a hora de paz e tranquilidade?

Cumprimentos.

 

Data do comentário: 20/08/2007, 17:14:00, Anonymous catn

GWAIHIR

Estou de acordo com a saida de FS

Eu penso, que LFV tentou dar mais uma oportunidade ao FS, mas porra, depois dos jogos de preparação, todos eles muito maus, o jogo da champions e da nossa liga, foi demais, viu-se que a equipa não tinha automatismos, não corria, não tinha velocidade, notava-se que a equipa não estava bem, não jogava para a frente

Penso que isto não é culpa do LFV, é culpa do FS e do preparador fisico (escolhido pelo FS), tantas lesões é culpa de quem ?, tem de ser da equipa técnica

Dizer que se perdeu o Simão e M. Fernandes, todas as equipas do nossa liga, perdem os melhores jogadores, isso não serve de desculpa a equipa tem de jogar com aqueles que estão e são melhores que os jogadores do Leixões, de certeza, não há justificação para o Benfica jogar tão mal, o FS não tinha condições para continuar no Benfica, eu culpo o LFV, só pela contratação de FS

O Presidente quando veio para o Benfica, foi para tirar o clube do buraco financeiro que estava, tinha de haver outros para tratar do futebol, ele pensou em Camacho, depois em José Veiga e agora volta a Camacho

A figura de presidente actualmente serve, para gerir o clube e a SAD, a nível economico e financeiro, do futebol, trata o director desportivo ou o treinador com apoio da "maquina" administrativa da SAD

Parece-me que se deve julgar LFV, sobre aquilo que fez e que está a fazer pelo clube e pela SAD a nivel financeiro e de credibilização do Benfica

 

Data do comentário: 20/08/2007, 20:02:00, Blogger bomdebola

Completamente de acordo com o tema desenvolvido pelo Gwaihir. Para além de me identificar totalmente com os argumentos apresentados, está muito bem escrito.

MFQ

 

Data do comentário: 21/08/2007, 11:28:00, Anonymous Glorioso Adepto

O Universo Benfiquista anda a confundir algumas coisas. Falam da saída de jogadores para desculpar FS e por a culpa em LFV, mas, mesmo não tirando as culpas a LFV (que as tem, como por exemplo não ter despachado o Inginheiro mais cedo) esquecem-se de que:

1) A época foi planeada em conjunto entre FS, LFV e (agora muito evidente) JV;
2) O plantel continua desequilibrado (vide falta de centrais);
3) Os jovens não são aposta do Inginheiro, antes são "deitados para a fogueira" - com o David Luiz resultou, já o Adu teve grandes dificuldades com o FC Copenhaga;
4) Os contratos são para cumprir, logo se neles estão presentes clausulas de rescisão e elas são alcançadas, fica-se dependente da vontade do jogador (Simão e Manuel Fernandes optaram por sair);

Embora eu goste de Camacho, não vivo na euforia da maioria da massa associativa pelo seu retorno - já estava mentalizado para uma época de desgraça com o Inginheiro na esperança de que no final da época viesse o Scolari - no entanto reconheço-lhe capacidades que têm andado arredadas do clube, como por exemplo:

1)Liderança
2)Carisma
3)Empatia com a massa associativa
4)Competência Q.B.
- e, para mim o mais importante -
5)Aposta consistente nos jovens, nomeadamente da "cantera"

Este último ponto, que ninguém tem referido, é para mim de vital importância. Foi ele que lançou Manuel Fernandes, João Pereira e Helio Pinto (este último de qualidade duvidosa, mas se era do que melhor nós tinhamos nos juniores...). Foi ele que fez crescer Tiago para o estrelato. Foi ele que fez Miguel crescer para o estrelato (Trapattoni completou o trabalho). Foi ele que deu resistência de campeonato a Simão Sabrosa. Foi ele que descobriu Luisão... enfim, tudo pontos a favor de Camacho em relação a FS (que a única coisa boa que deu ao Benfica foi o Katsouranis).

Este ponto do trabalho desenvolvido com os jovens é, para mim, essencial numa equipa que tem no seu plantel David Luiz, Nelson, Fábio Coentrão, Freddy Adu, Di Maria, Yu Dabao, Romeu Ribeiro e Miguel Vitor.

P.S. - Agora, depois de FS ter sido despedido, até parece que ninguém desejava isso...